Ivo Adams

Violinista e fundador do meuviolino e atualmente dedico meus estudos e pesquisas focado em ajudar e direcionar qualquer violinista independente do nível que ela está. O blog é totalmente direcionado para reviews do meuviolino, o projeto já começou algum tempo, mais precisava de teste que são feitos em meses para ser o mais fiel possível as análises. São testes com mais de 100 mil horas de estudos para extrair o máximo possível dos materiais, como cordas, breus, arcos, espaleiras, etc. Não é um blog para técnicas, métodos e aulas e sim reviews fruto de muito estudo que faz parte do dia-a-dia do meuviolino.

[ TESTADO • Breu Jade ]

Breu L’Opéra Jade (J100M)

Hoje começo uma seção nova no blog e aclamada por muitos, tirando todas as perguntas que recebo diariamente sobre encordoamentos, eu diria que é o segundo tema disparado, :D. Agora o que acontece, é que todos querem e perguntam qual o melhor breu, e muitas vezes não compreendem como usar corretamente e extrair o máximo do breu. Não vou ensinar como passar o breu na crina do arco :D, até porque é um noção bem básica que muitos canais, professores, fabricantes ensinam. Quero me concentrar no review do Breu L’opera Jade e ao mesmo tempo falar sobre dicas e informações que vão lhe ajudar para você identificar qual o breu correto para o jogo de cordas que você usa no seu violino. A grande verdade nisto tudo é: Que muitas vezes compreendemos errado, o breu é o combustível para que as cordas vibrem corretamente, se você usa o combustível errado o resultado será comprometido e muitas vezes você coloca a culpa no breuzinho, :D. Claro que existem breus que nem poderiam ser chamados de breu e sim de qualquer coisa, :D. Outro detalhe que costumo falar e descobri lendo, experimentando e pesquisando sobre. Muitas vezes pensamos que o breu não é importante, mas ele é o detalhe a cereja do bolo que faz um diferença. Seria aquele funcionário que ninguém nota, mas se ficar uma semana de ferias, todos sentem falta. :D.

 

• Testada
• Tempo de uso: 3 meses
• Tempo de uso diário: 45min à 2hs
• Tempo médio de uso: 100.500min
• meuviolino usado: Cópia modelo Italiano de 1949 de Armando Di Lelio e Violino Elétrico

 

Antes que falemos como seu comportou o Breu Jade no meuviolino, preciso separar algumas linhas para que você saiba que a escolha do breu, apesar de muitos falarem ser uma decisão pessoal, terei que discordar e vou explicar o motivo de uma forma bem simples e direta e com perguntas bem básicas, então lá vai: Você sabia que existe um breu especifico para cada estilo de cordas? Você sabia que o breu usado de forma errada a produção de som será comprometida? Você sabia que as cores do breu nada mais é do que a resina estrada e utilizada nas estações do ano e não só relacionada com a temperatura? Pois bem, vou precisar falar rapidamente sobre alguns pontos das minhas pesquisas antes do review.

O breu é composto por resina basicamente falando para não entrarmos em detalhes técnicos que não vem ao caso agora, se não terei que falar das misturas adicionadas como prata, ouro, cobre, etc. O Breu serve para ter adesão entre o arco e as cordas, detalhe importante mas ignorado por muitos. O Breu ajuda no manuseio do arco para produzir um som mais bonito.

Agora saiba que existem vários tipos e marcas de breus no mercado, para todos os gostos e bolsos, e claro que na maioria das vezes só nos preocupamos com o bolso, sendo que ter um breu correto para o estilo de corda é essencial, e detalhe o breu dura muito, muito mesmo, para quem cuida :D, no entanto devemos ficar atentos para alguns dicas importantes antes de comprá-lo, como por exemplo: o tipo de corda que você usa (alumínio, aço, sintético ou tripa), tipo de arco (crina animal ou sintético), o clima de onde o músico toca e até mesmo a questões alérgicas (nos grupos que participo existem alunos que tem alergia ao breu, mas se você tem, não fique no desespero existem breus específicos para isso também :D).

Pois bem, certamente você já percebeu uma diferença nas cores entre as várias marcas de breus à venda, tudo isto se deve ao fato da extração da resina no pinheiro de acordo com as estações do ano, produzindo um resultando de breu negro, avermelhado ou intermediário e o amarelo. Na prática, usa-se o breu mais escuro para cordas de aço, que não precisam de um poder de aderência muito forte e o breu mais claro para cordas de tripa que exigem uma adesão maior. Entra fique atento a escolha do breu ideal para você. Pesquise, leia, e não vá pelo acho, mas também se ligue na qualidade do produto que vai variar de acordo com a marca e preço. O iniciante terá bastante tempo com os breus chamados qualquer coisa e quebrará muitos até entender e achar aquele com o qual se dá melhor com as cordas que você usa para ter o melhor som do seu instrumento.

Antes de mais nada, você tem que saber o tipo de corda do seu violino e entender sobre os 3 estilos específicos de breus que será seu fiel parceiro e escudeiro.

Breu para Cordas de aço: Geralmente (isso não é regra) os breus mais escuros são usados para este estilo de corda, mas o correto é: o Breu escuro é menos suave do que o breu claro – ou seja – é mais duro, não solta tanto pó,  más em compensação tem um poder de adesão menor que é indicado para cordas de aço. Assim você terá uma resposta melhor e adequada para este encordoamento. Por exemplo, muitos fabricantes fazem os breus para cada estilo de encordoamento e muitas vezes bem específico. Se você não encontrar um manual do fabricante ou uma indicação as cores as vezes ajudam. O correto é sempre buscar informações adequadas e ler o famoso manual do fabricante que vai te ajudar a saber que estilo de corda ele funciona 100%, para te entregar um som adequado e sem muitos problemas e para você parar de colocar a culpa no Breu :D.

Breu para Cordas sintéticas: Para este estilo de corda um breu intermediário, com poder de adesão intermediário. Os breus para cordas sintéticas geralmente conseguem ser usados tanto para cordas de aço como de tripa, claro que não 100%. Por exemplo existem breus que misturam metal para que ele posso ter um excelente resposta tanto nas cordas de aço como sintética. Para os breus classificados para uso sintético eu diria que são a maior fatia de opções do mercado.

Breu para Cordas de tripa: Na maioria os breus são claros porque precisam de um poder de adesão muito grande em relação aos outros. Agora é um breu que solta bastante pó até porque o estilo de corda precisa que seja assim, para ter a melhor relação entre a crina do arco, o arco e as cordas.

 

Vamos ao Review do Breu L’Opéra Jade (J100M)

Fabricado na França, o Breu Jade L´Opera foi um dos Breus mais curiosos que testei até o momento, quero deixar claro que usei um arco com crina nova para poder sentir e ver suas respostas com encordoamentos de aço e sintéticos, não usei nos de tripa porque são cordas que ainda não tive a oportunidade de testar, pelo auto investimento e pelo clima de minha cidade que não favorece este encordoamento. Primeiro antes de adquirir este breu fiz uma pesquisa para saber porque ele é tão reverenciado no mundo e o que torna ele diferente, em alguns países é tratado como joia por ser comparado ao Jade, rs. Pois bem a sua formula se dá através de refinados compostos que não é revelado, 😀 até porque é a formula da empresa, rs. Então não consegui descobri ao certo qual a mistura mas uma coisa isso sim me deixou extremamente satisfeito no uso que fiz por 3 meses no meuviolino e com 4 estilos e marcas de cordas diferentes. Em todos os sites de compras pelo mundo que olhei até em outras línguas que não sei nem pronunciar o nome, mas todas declaram que o Breu Jade promete não aderir ao verniz do instrumento e não provocar arranhões durante a limpeza, isso sim eu bato palmas para a empresa francesa, ela cumpre perfeitamente, ainda fiz alguns testes no meuviolino elétrico e acústico e deixei um bom tempo para observar e foi muito tranquilo de remover o breu. No meuviolino elétrico deixei uma semana inteira, e neste detalhe é um breu perfeito, não foi complicado remover, detalhe ele solta pó, mas é muito pouco, se você tocar pianíssimo não verá a cor do pó no seu instrumento, ou seja, cumpre de fato o que promete. Agora sua aderência foi diferente nos estilos de cordas que testei durante os 3 meses, entretanto sua resposta foi muito boa e se saiu bem na aderência da crina durante o uso, proporcionando um timbre claro, e rico. Agora na primeira semana foi um breu que me deixou preocupado porque falhava e não me dava as respostas nas minhas arcadas. Mas após a primeira semana me entregou um atrito no ponto certo e constante. Outro fato que me deixou impressionado e é um fato curioso para quem compra este breu e cheguei a fazer a seguinte pergunta: É um breu ou perfume? Falo isso porque o Breu Jade tem um aroma agradável que parece um perfume exótico, por ser um breu que solta pouco pó é considerado para muitos uma excelente opção anti-alérgica, mas preciso deixar claro que não é um breu anti-alérgico, mas por sua composição e fabricação diferenciada proporcionam uma boa opção até mesmo para quem não curte os excessos de pó.

Falando nas cordas que fiz os testes, aproveitando as cordas Ópera Orange de Núcleo de Aço, funcionaram bem, mas sua resposta foi melhor nas cordas sintéticas que fiz os testes, como as Thomastik Dominant, Thomastik Alphayue e Pirastro Evah Pirazzi (E-gold) funcionaram super bem com respostas claras, e aderências precisas, agora no momento que precisei de arcadas mais encorpadas e arcadas pesadas o breu deixou um pouco a desejar. Mas no geral é um excelente custo e beneficio em geral, o melhor detalhe de todos é que não agride o instrumento por ter pouca mistura e ser o mais puro possível de acordo com o fabricante e reviews pelo mundo. De fato quando uso o Breu Jade a minha limpeza é mais rápida e facilitada. Este detalhe de todos os breus que testei até o momento ele é imbatível, claro que posso mudar de opinião para futuros breus que pretendo testar. Resumindo é um ótimo investimento e não é um breu super caro. Agora breu eu costumo dizer que não vale a pena importar se tiver no brasil, porque a diferença é muito pouca e as vezes os transportes que são feitos por ai, podem chegar danificados como de um amigo de grupo de violinistas que importou o breu chegou danificado e derretido. E detalhe no brasil divide o valor, rs.

Agora vamos fazer um resumo total e direto sobre alguns pontos importantes que estou fazendo em todos os breus que estou testando.

Aderência inicial ao arco
O Breu Jade demorou uma semana para de fato produzir resultado e tinha um chiado meio chato. Após as primeiras semanas não tive surpresas e suas respostas foram arcada lisa com o atrito digamos no ponto certo e sempre constante na entrega de timbres ricos e claros.

Pegada
Porque separei este tópico, simples, alguns breus que testei sua firmeza e pegada ao segurar não era tão boa, mas o Breu Jade vem com um pequeno Tecido que ajuda a proteger e segurar, mas não é tão confortável, e não é 100% seguro, ei diria que para aqueles violinistas descuidados poderá escapar fácil, fácil da mão.

Tom
O tom do Breu Jade foi agradável e claro nas respostas, mas não me entregou tonalidades quentes e encorpadas. A resina verde do Breu Jade me entregou timbres claros, ou seja na média se você gosta de timbres escuros como eu, você ficará um pouco frustrado com ele. Agora o Breu Jade este sim foi só elogios no meuviolino para as cordas sintéticas, já para as cordas de aço foi um Ok apenas, funciona mas não 100%.

Poeira
O pó do Breu para alguns é apenas detalhe e para outros pontos decisivos eu só do estilo que o pó não me tira do sério, até porque amo limpar o meuviolino, é um hábito sempre que uso. O Breu jade é ótimo porque solta pouco pó, as vezes quase nada mas solta e as vezes até do necessário, se deve muito pelo fato de quem toca muito, quase o dia inteiro, rs.

 

Conclusões Técnicas

Material: Resina natural de Pinho na cor verde
Origem de fabricação: França
Base que Segura o Breu: Tecido Pequeno
Formato: Circular
Fabricado: França
Instrumento: Violino, Viola e Cello
Melhor Uso: Indicado para cordas sintéticas
Nível do Breu: Intermediário
Conclusão: Ótimo breu francês

 

Reviews e conclusões gerais pelo mundo

Proporcionando um timbre claro e rico, com um aroma agradável e entregando um boa aderência com pouquíssima poeira, para o dia-a-dia é excelente com um custo e valores acessíveis. Eu diria é um ótimo investimento, e melhor do que muito breu bem mais ou menos que tem por aí.

 

Sites de Compras

Uma observação importante nos sites de compras é verificar sempre quem é o vendedor, depoimentos da loja, aferir se o encordoamento é original comparando-o com o manual do fabricante que detalha bem a numeração de série, cores e características originais do produto. Verifiquem sempre a reputação do vendedor. Muito bem breve estarei abrindo um artigo com lojas confiáveis.

Mercadolivre – Média de R$60,00 (Frete Free ou Pago)
Aliexpress – Média de R$55,00 (Frete Free)
Ebay – Média de R$45,00 (Frete Free ou Pago)

3 Comments

  • Matheus Ferraz

    agosto 23, 2017 at 2:02 pm

    Top o breu, fiquei curioso em testar! Parabens pelo blog, to amando os reviews e apresentando o site para meus amigos. Quando puder faz um review do Breu Gustave Bernadel. Deus abençoe!

  • meuviolino

    agosto 23, 2017 at 2:59 pm

    Fico feliz, muito feliz que estamos ajudando e esclarecendo com o projeto. Seu apoio é fundamental. E breve quando tiver a oportunidade vou testar com muito amor e empenho este Breu.

  • Cláudio Schuster

    dezembro 17, 2017 at 7:27 pm

    Excelente teu trabalho, é maravilhoso termos uma orientação segura e confiável no mundo do violino. PARABÉNS

Deixe uma resposta