Ivo Adams

Violinista e fundador do meuviolino e atualmente dedico meus estudos e pesquisas focado em ajudar e direcionar qualquer violinista independente do nível que ela está. O blog é totalmente direcionado para reviews do meuviolino, o projeto já começou algum tempo, mais precisava de teste que são feitos em meses para ser o mais fiel possível as análises. São testes com mais de 100 mil horas de estudos para extrair o máximo possível dos materiais, como cordas, breus, arcos, espaleiras, etc. Não é um blog para técnicas, métodos e aulas e sim reviews fruto de muito estudo que faz parte do dia-a-dia do meuviolino.

[ TESTADO • Mauro Calixto ]

Mauro Calixto (Nylon).

Esse é um encordoamento que divide opiniões, e na verdade não só isso muitas vezes é um encordoamento que não sabemos usar e indicar sem falar que descemos a mão para criticar, claro que a empresa não caprichou na embalagem, nas pontas das cordas que não tem ball e sim um nó, mais isso são detalhes. NESTE MOMENTO VOU ESCREVER EM CAIXA ALTA PARA CHAMAR BEM ATENÇÃO DE QUEM DESEJA LER. A Mauro Calixto é um encordoamento Brasileiro e por muitas vezes não ter um apoio é um encordoamento que parou um pouco no tempo onde a concorrência, principalmente das cordas chinesas tem abalado o mercado, e claro eles tem mão de obra e custos mais baixos que nosso país que esta no top 10 do mundo de países com maiores impostos e menor retorno para a população. Não quero falar de política ou impostos que não é o foco, mais precisava deixar claro a todos os leitores que buscam informação o seguinte: “não apoiamos um produto brasileiro que tem qualidade mas é muito mal utilizado e informado, vou deixar um parcela de culpa para a empresa do encordoamento que não dispõem de canais com informações, manuais, etc.”

 

• Testada
• Tempo de uso: 3 meses
• Tempo de uso diário: 45min à 2hs
• Tempo médio de uso: 8.500min
• meuviolino usado: Cópia modelo Italiano de 1949 de Armando Di Lelio

 

Depois do desabafo, rs. vamos ao que interessa o review do encordoamento brasileiro que divide opiniões, :D. A Mauro Calixto é feito de nylon (muito importante deixar isso claro), isso faz o violino ter um som morno bem morno eu diria mas só terá esse timbre, após e bem após o violino ajustado e bem aberto o som. Quando isso acontece nas etapas corretas, um detalhe que não é informado e muito menos explicado para todos os que compram esse encordoamento é que a Mauro Calixto entrega um som de muita qualidade.

O que acontece é: Todos os violinistas que compram a Mauro Calixto, pensando em milagres pelo baixo custo e de ser um encordoamento acessível, não fazem os ajustes básicos necessários a todo violino de fábrica e ainda bota um jogo da Mauro Calixto quando o violino é novo e tem o som fechado. O resultado é extremamente desastroso. O som fica muito abafado, bastante anasalado eu diria bem anasalado e o som eu diria quase sem volume, rs. Muitas vezes levando o violinista a jogar longe o instrumento por nunca conseguir de forma alguma abrir o som do mesmo.

Ou seja a grande maioria não só de alunos, mais de professores por não ter a devida informação, vão sempre colocar a culpa nas cordas Calixto. Isto se deve ao fato de que muitos professores não entendem de lutheria, não entendem de encordoamentos, nunca pararam para experimentar, entender, e ler os dados técnicos ou fazer experiências, muitas vezes indicam o encordoamento por ser bem macio, e detalhe, não sabem aconselhar o aluno na compra de um violino e nem informa sobre o serviço necessário e básico de um Luthier. Então eu diria que será quase no total das vezes não diria 100% porque é uma média e não um dado absoluto, resumido: “o resultado é sempre desastroso”.

A grande maioria dos estudante e professores confundem qualidade do timbre com estridência, ou seja não tem nada haver uma coisa com a outra. Qualidade no timbre e equipamento, aliado aos ajustes necessários e obrigatórios a todos os violinos que vão determinar se vai usar tal marca de corda e vai ter resultado que atenda a sua necessidade. Então em geral o violino bem regulado, ele vai soar muito bem com a Mauro Calixto, digo isso porque vi um violino de Luthier com tudo certinho tocando uma peça bem complexa e não acreditei com ele me disse isso aqui é calixto, tive que olhar, claro não não estou dizendo que ela supera cordas como Thoamstik e Pirastro ou Larsen mas no meuviolino funcionou desta forma. Agora detalhe importante, tem que colocar Mauro Calixto depois de um violino estar bem ajustado e claro com o som já aberto. Antes de abrir, tem que colocar uma corda que grita, como as cordas de qualidade com núcleo de aço.

Agora, não adianta nada x nada você colocar uma Evah Pirazi, Thomastik Peter, Red, etc em um violino que não suporta tamanha qualidade da corda. Você precisa de um violino e técnica necessária para ser capaz de proporcionar potência máxima que as cordas podem lhe oferecer.

Em geral para você que fala que são ruins a Mauro Calixto? Não, são cordas excelentes para o nível do violino semi profissional ou profissional. Mas são cordas baratas e de boa qualidade que funciona muito bem para dar qualidade no timbre e não para abertura do som. Mas só terá qualidade no timbre se o violino de fábrica tiver sido ajustado por um bom Luthier, não os que dizem ser Luthier que em meia hora ajustou seu violino. Então, a Mauro Calixto em violino chinês barato (São os que mais vejo), não vai funcionar, se tiver desregulado, etc, etc, etc. Será um desastre mesmo!!!!!! :D. Costumo falar para amigos e iniciantes a este amado instrumento o que custa você já que comprou um violino chinês de 20 dólares não fazer um ajuste de verdade e colocar uma corda para abrir o som e usar uma calixto para ter um som que te entregue mais qualidade, após esse processo. Por esta razão não recomendo calixto para iniciante, até porque muitos vão demorar abrir o som e atingir uma técnica favorável com boa produção de som. Hoje depois de testes e conversas, seria um encordoamento para passagem entre o iniciante e o intermediário com um violino ajustado. Agora se você quer investir neste jogo de cordas, saiba que pode ter algumas surpresas no processo.

Então não crucifiquem a Calixto, saibam usa-la no processo onde de fato ela vai te entregar uma qualidade favorável e um som agradável dentro das suas limitações é claro!

Bom pessoal, neste review precisei separar algumas linhas para você ter uma noção melhor e entender um pouco mais sobre esse jogo de cordas que por muitas vezes, ficam no campo da especulação sem ser compreendida e sem entende-la mais profundamente. A grande verdade nesta história toda é que muitos só compraram as cordas e usam e não procuram perceber, estudar e entender se de fato funcionam no seu violino.

No meuviolino a Mauro Calixto teve um desempenho na média, depois de ter ajustado as tensões e perdido o som metálico inicial me entregou um bom som aveludado em grande parte dos testes ficou na média. De fato o som do violino ficou mais baixo, não tão a baixo, mas baixo, rs. Como meuviolino já tem o som maduro e aberto no contexto geral, funcionou tranquilamente, diria ideal para estudar com surdina no AP, rs. Fica bem gostoso o som, quantas vezes minha filha não dormiu com os meus estudos e testes.

 

Falando de Cada Corda

Mi (E)
Esta corda foi a primeira que precisei substituir, ela não tinha um equilibro com o restante do encordoamento e precisei fazer alguns testes misturando outras marcas com o restante do jogo de cordas, consegui equilibrar usando uma mi menos gritante.

Lá (A)
Ficou em corda mais suave, sem muita potência, mesmo que coloque peso no arco, ela não vai te entregar um som 100% equilibrado e potente, ela fica na média para um som bem morno.

Ré (D)
Uma Corda que analisando eu diria, elas por elas e definiria com a famosa frase: “não fede nem cheira”, kkk.

Sol (G)
Fiquei desapontado principalmente com essa corda seu som, muitas vezes desaparecia, seu vigor e definição nas respostas deixaram a desejar. Gosto de definir ela como uma corda gripada, rs.

 

Resumindo, no meuviolino foi um jogo de cordas que deixou o som bem equilibrado seria igual a um quarteto musica, um barítono, rs. Agora não posso deixar de registrar que é uma corda muito macia, ideal neste aspecto, muito mais macia que algumas marcas famosas que temos por ai. Se você tiver com um violino que o som não está maduro e sem uma boa técnica, você pode fica desapontado querendo trocar o encordoamento logo, logo.

 

Não acreditem quando um vendedor, colega, etc, te falar que é um encordoamento que aguenta dois anos, aguenta se vc tocar no violino duas vezes por ano, rs. Existe um tempo de uso das cordas, e precisamos respeitar para ter uma melhor relação entre você e elas, com uma entrega satisfatória :D.

 

O recomendado é: A Mauro Calixto seria ideal após 1 que você já usa encordoamento de aço para abrir o som do instrumento. As cordas de aço geralmente por serem mais intensas ajudam a abrir o som. Então após 1 ano, troque pelas Calixtos por outra marca de Perlon. Recomendo as cordas Ópera Orange para abrir o som, depois para amadurecer pode usar a Mauro Calixto. (Claro que essa dica é para iniciantes ou estudantes que não tem muito no momento para investir em cordas mais top.)

 

Sites de Compras

Uma observação importante nos sites de compras é verificar sempre quem é o vendedor, depoimentos da loja, aferir se o encordoamento é original comparando-o com o manual do fabricante que detalha bem a numeração de série, cores e características originais do produto. Verifiquem sempre a reputação do vendedor. Muito bem breve estarei abrindo um artigo com lojas confiáveis, e falando como identificar melhor um encordoamento.

Mercadolivre – Média de R$35,00 (Frete Free ou Pago)

 

Empresa

Sede: São Paulo, Brasil

Site Oficial da Mauro Calixto
www.maurocalixto.com.br

 

Exemplos do Som do Encordoamento

 

Tensão: Média
Nível da Corda: Para estudantes iniciantes e intermediários (com violinos ajustados e com  som aberto).
Finalidade de uso: Para estudos diários e uso em igreja.

Reviews e conclusões gerais pelo mundo
Som médio, com equilibrado em violinos ajustados e com o som aberto. Produz na grande maioria um som morno.

Entendendo o “tom frio, quente e escuro” do gráfico

Existe muitas terminologias para descrever as diversas qualidades sonoras das cordas: suave, macio, claro, morno, complexo, pesado, escuro, cheio, etc. Fazendo um paralelo entre os tipos de núcleos com os sons que produzem, fiz um gráfico para classificar o encordoamento e como ele se comporta do suave ao pesado.

Deixe uma resposta